sexta-feira, 12 de agosto de 2011

116 - Enrique Granados - Espanha - séc.XX







Enrique Granados nasceu em 27 julho de 1867 Lérida, perto de Barcelona. Filho de um capitão do exército, começou a ter aulas de piano em 1879, continuando em 1880 com Joan Baptista Pujol (1835-1898) na Academia Pujol.

Três anos depois ele executou a Sonata op. 2 Schumann , em um concurso patrocinado pela academia, para o qual um dos membros do júri foi o notável compositor Felipe Pedrell (1841-1922). Assim, com dezesseis anos de idade, venceu a competição e, obviamente impressionando Pedrell, começou a ter aulas com este de harmonia e composição, em 1884.

Em 1887, Granados foi para Paris onde estudou com Charles de Bériot (1833-1914). Ele foi fortemente influenciado pela insistência deste professor sobre a produção de tons e técnica de pedal. Além disso, Beriot enfatizou a improvisação no seu ensino, reforçando a capacidade natural de Granados para a composição. Depois de regressar a Barcelona, em 1889, ele publicou a obra "Danzas Españolas", que lhe trouxe reconhecimento internacional.

Em 1911 estreou uma suíte para piano - Goyescas . Este ciclo de seis famosas peças foram inspiradas no século 18 como descreveu o pintor Goya através de seus quadros. Tal foi o sucesso de Goyescas que Granados, em 1914, escreveu uma ópera sobre o mesmo assunto, como se fosse uma reciclagem desta série musical. Bem, devido ao surgimento da I Guerra Mundial, a ópera foi estreada em Nova York , e não em Londres conforme o planejado.

Esta ópera teve o incentivo do amigo Ernest Schelling, que Granados conheceu em 1912, um pianista americano , e que era o primeiro pianista a executar a música de Granados fora da Espanha. Schelling cuidou de organizar as obras de Granados para serem publicadas em Nova York e encorajou-o em seus planos para converter o Goyescas suíte para piano em uma ópera, sendo que depois a sua estréia deveria ser no Metropolitan Opera de Nova York.

Depois de um inesperado convite para tocar para o presidente Wilson na Casa Branca, Granados teve que mudar sua programação de viagem de regresso e isso levou-o a perder o seu barco de volta para a Espanha. Ele e sua esposa partiram para a Europa através da Inglaterra, mas ao cruzar o Canal Inglês a bordo do Sussex, um submarino alemão torpedeou o navio e eles faleceram. Em uma tentativa fracassada de salvar sua mulher Amparo, Granados saltou do barco com salva-vidas e se afogou . Ironicamente, ele tinha um medo mórbido de água e estava retornando de sua primeira série de viagens oceânicas. Ironicamente também, o navio partiu-se em duas partes e apenas uma afundou, a outra parte do navio, onde pertencia seu camarote, foi rebocada para o porto, com a maioria dos passageiros. Eles deixaram seis filhos: Eduardo (um músico), Solita, Enric, Víctor, Natália e Francesco.

Embora Granados seja freqüentemente mencionado dentro de um mesmo enfoque nacionalista com Albéniz e Falla, ele foi mais um neo-romântico do que propriamente um compositor nacionalista, com uma escrita musical brilhante, expressiva e elegante, influenciada pela música de Chopin, Schumann, e também da história espanhola.

Suas obras principais são as óperas Maria del Carmen (1898) e Goyescas (1916), o poema sinfônico Dante (1908), o ciclo Tonadillas (1910), e algumas música de câmara.

Granados foi também um bom professor e em 1901 fundou a Academia Granados, que produziu vários músicos, como Paquita Madriguera, Conchita Badia e Frank Marshall.

Aqui estão alguns vídeos de sua obra:

Intermezzo da ópera Goyescas


Granados extraiu a música desta ópera de uma série de peças para piano(1911), inspiradas nas pinturas de Goya, num total de sete quadros.

A história se passa em Madrid por volta de 1800. A ópera tem início com uma multidão de majas em férias nos arredores de Madrid. Paquiro, o toureiro, lança cumprimentos às damas quando chega Pepa a sua namorada. Logo em seguida, chega a dama Rosário que vem ao encontro de seu amante Fernando, capitão da Guarda Real. Paquiro faz um convite para o "Baile de Candil", que deixa Fernando enciumado. Rosário aceita, mas diz que vai na companhia de Fernando, enquanto Pepa fica furiosa de estar sendo relegada e jura vingar-se de Rosário. No baile Fernando e Paquiro acertam um duelo, mas Fernando vai ao encontro de Rosário antes, quando esta escuta um grito de dor e Fernando cai morto em seus braços .

Figura de majas:











Da ópera Maria del Carmen:





Assim, encerramos a ópera na Espanha.





Levic

7 comentários:

  1. I like your blog very much.

    My blog is about opera and piano musik. Will be very glad, if you stop by me.

    Best wishes,
    From Germany

    ResponderExcluir
  2. Olha só, gente!!! Seguidores/leitores internacionais!!! É só pra quem pode mesmo!!!

    Adorei o retorno do blog!!!

    Bj

    ResponderExcluir
  3. Oi, Leda
    Gostei do seu blog (minha esposa o achou no Google procurando Dom Quixote; como ela sabe que eu gosto de ópera, me indicou).
    Tambem postei várias óperas populares em meu blog e comecei a fazer um cronograma das óperas e autores.
    Ainda está no início, mas já dá para quebrar um galho.
    Tchau

    ResponderExcluir
  4. Oi Edimilson Jr. Gostaria de acompanhar o seu blog, pois como vc gosta de óperas já temos algo em comum. Assim que puder, me mande o seu link.
    Leda

    ResponderExcluir
  5. Legal!
    Olha só ... eu gosto de ópera, mas entendo muito pouco :)
    Meu blog é esse:
    http://oqueemeuenosso.blogspot.com/2011/05/opera-indice-opera-index.html
    Até logo

    ResponderExcluir
  6. Pak job Ads and advertisements for Karachi,Lahore,Quetta,Peshawar,Multan,Hyderabad,Rawalpindi,Islamabad and http://allpkjobz.blogspot.com all cities of Pakistan.

    ResponderExcluir
  7. Olá quais as fontes literárias que você usa para comentar sobre as óperas?

    Gostaria de fazer uma pesquisa mais aprofundada, tenho colecionado os livros de Lauro Machado Coelho, que por sinal são bem estruturados e também tenho o Kobbé's Operas Guide em pdf tem algum outro para me indicar?

    ResponderExcluir